ÚLTIMAS POSTAGENS:

CÂMARA MUNICIPAL DE TARAUACÁ REALIZA AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE COBRANÇA DE ENERGIA NA ZONA RURAL



José Suleiman, Ezi Aragão, Manoel Monteiro e Lulu Neri

Aconteceu hoje na Câmara Municipal de Tarauacá uma Audiência Pública que foi requerida pelo Vereador Marlindo Pinheiro (PC do B), para tratar de cobranças indevidas e abusivas na contas de energia nas propriedades rurais do município.



Compôs a Mesa o Presidente Vereador Ezi Aragão (PT), que conduziu a Audiência, o Vice-Presidente Vereador Lulu Neri (PROS), o 1º Secretário Vereador Manoel Monteiro (PC do B), e o representante da ELETROBRAS local o Sr. Francisco Suleiman da Silva Sampaio.


O Vice-Presidente Vereador Lulu Neri (PROS), iniciou as falas dos Vereadores cobrando a presença da empresa responsável pela medição a Control que não enviou ninguém apesar de terem sido convidados. Por isso reclamou também que esse tipo de atitude dificulta o trabalho de fiscalizar dos Vereadores. Afirmou que a população deve correr atrás de seus direitos.




Em seguida falou o Vereador Valdor do Ó que também reclamou da falta de um representante da empresa Control nessa Audiência. Valdor do Ó considera absurdo esses valores exorbitantes que estão sendo cobrados nas contas de energia.




O Vereador Mirabor Leite (PMDB), afirmou que se a empresa Control não enviou um representante é um problema da ELETROBRAS porque ela que contratou. Disse ainda que esse problema só se resolve se houver uma ação conjunta indo ao Ministério Público fazer uma denúncia formal. Outra coisa que para ele é absurda, é a cobrança indevida de taxa de iluminação pública para a zona rural.



O Vereador José Sidenir (PC do B), chamou de ‘novela manjada’ esse assunto e quer que a população saia com um encaminhamento para que se resolva esse problema de uma vez por todas. “O pessoal da medição tem que ir de propriedade em propriedade”, afirmou ele.


O 1º Secretário Vereador Manoel Monteiro (PC do B), falou que não foi sóa zona rural que teve um aumento abusivo, mas também na zona urbana, e culpa esse aumento da energia pela corrupção reinante no país, lembrando que quem sempre paga a conta é a população em geral.


O Vereador João Moreira (PSB), propôs que os Vereadores vão a Rio Branco e faça uma denúncia formal no MPF (Ministério Público Federal), porque a grande maioria da população não tem condições de se dirigir até a capital para isso.



A Vereadora Janaína Furtado (sem partido), classificou como absurdo o que está acontecendo e concorda que a Control deva ser acionada judicialmente pelo o que está acontecendo com os valores exorbitantes sendo cobrados. Disse que a Lei municipal 637/2007 que institui a contribuição para o custeio da iluminação pública e se dispõe a elaborar os trâmites legais para que se acabe com essa cobrança de taxa de iluminação pública para zona rural. 



A Vereadora Maria José (PSD), diz entender a situação dos trabalhadores rurais classificando como crime o que está acontecendo. Colocou-se a disposição da população para ajudar porque sabe que às vezes os produtores rurais mal têm dinheiro para se alimentar. Por isso não aceita de maneira nenhuma o que está acontecendo. 



A população presente também fez uso da palavra. O primeiro a falar foi o Célio do ramal do Manoel do rádio. Que apesar de achar bom o programa luz para o povo, infelizmente a empresa contratada para fazer a leitura não comparecem e quando comparece o valor fica acumulado ficando inviável o pagamento, isso quando a conta já é emitida vencida.



Outro que falou foi o Zequinha do ramal do Lomada e segundo ele se a empresa contratada passasse no tempo certo não existiria inadimplência. O que não dá segundo ele é pra pagar uma conta com o valor tão grande.



Finalizou a fala da população a Senhora Liberdade do ramal do rádio que criticou a falta de entrega da conta em sua porta, já que se caso isso acontecesse não haveriam atrasos. O que não pode é cobrar depois de 1 ano e meio ou dois anos. Com nossa venda de roçado não há como pagar luz com valor tão caro.



Ficou decidido que o representante da ELETROBRAS local o Sr. Suleiman vai a rádio especificar um calendário para que se estude caso a caso ramal por ramal, mas já adiantou que muitos desses casos podem ser resolvidos com parcelamentos da dívida em até 24 meses e até a retirada da cobrança de juros.



A Mesa Diretora da Casa ainda informa a todos os consumidores de energia elétrica que suas dúvidas podem ser sanada indo ao site da ANNEL – (clique aqui) – onde poderão saber de todos os seus direitos e deveres lendo a normativa nº 414.


Assecom
Compartilhar no Google Plus

Sobre Câmara de Tarauacá

Redatora do blog, Publicitária
    Comentário do Blogger
    Comentário do Facebook